Páginas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ESTAR GRÁVIDA É:

Ler 50 vezes o resultado positivo do exame para ter certeza que está correto.Ficar chocada ao saber que uma gestação dura 40 semanas e não nove meses como todo mundo diz por aí. Não saber como reagir, sentir o coração pular dentro do peito e ouvir a médica falar enquanto segura o aparelho do ultrassom:
“É homem.”
Se pegar imaginando, por horas a fio, como será os olhos, os cabelos e a pele do filho que vai chegar. Torcer, e muuuuuuito, para que ele nasça perfeitinho. Sair na rua e só enxergar mulheres grávidas. Ter sono, muito sono. E não dormir a noite porque o tamanho da barriga incomoda. Ficar ansiosa; ficar alegre. E ter muita, mas muuuita fome. É também comer por dois e não ser questionada, rs.. Ficar com os pés inchados; não ter sapato que caiba. Engordar 10 quilos, assim, em pouquíssimo tempo. Nenhuma roupa que há no guarda roupa caber, e ficar feliz com isso tudo. Chorar com comercial de carro, de comida, chorar por qualquer coisa. Ter dor nas costas; nos pés, em tudo. Pensar na gravidez 100% do tempo; ficar com medo de não ter mais assunto porque, afinal, você só fala da gravidez. Esperar ansiosamente pelo dia do ultrassom, e assim que sair de lá, esperar ansiosamente pelo próximo! Aprender a enxergar o filho nas manchas de uma ultra-sonografia. Ler muito sobre gravidez, pular o capitulo do parto (pois ainda é muito cedo pra se preocupar) e ir direto para os cuidados com o bebê. Ir ao shopping e desejar apenas coisinhas para o filho. Torcer para ficar barriguda. E temer as horrendas estrias.Ficar muito esquisita e descobrir uma incrível capacidade de sentir todas as emoções dentro de uma só hora, da alegria descontrolada ao mau humor sem fim. Acordar várias vezes de madrugada para fazer xixi. Parar de receber cantadas na rua, por que as pessoas te olham de outra forma, agora com o respeito que o barrigão impõe.
É sentir uma calor que beira o insuportável, mas saber que seu bebê está super confortável dentro de você.
É escolher todo dia o que comer, sem se importar se vai engordar, além do que você já está gorda, rsrs. Ter desejos estranhos e ser atendida, por que desejo de grávida não se pode recusar! É ter peitão, ter bundão. Ter 30 anos e entrar na fila de prioridade, onde só tem idosos e participar das conversas ultra nostálgicas. E gostar disso.
É todos querendo passar a mão na sua barriga, beijar, segurar, sentir mexer, ouvir, de tudoo. Reparar que seu marido fica muito mais interessante como pai do seu filho e perceber que foi o único homem capaz de te presentear com tamanha alegria. Rir sozinha ao sentir o bebê mexer, mesmo que ele te acorde várias vezes durante a noite, porque você não esta numa posição confortável para ele. Ter a certeza de que tudo vai dar certo. Acreditar que a vida é divina. E que a roda viva da vida segue no seu próprio ventre. Saber que um filho é um pedaço de nós que deixaremos no mundo, um legado da nossa própria existência. Ter a certeza de que há algo maior que nos protege. Sorrir mais e esperar por um amanhã muito, mas muuuuuiiiito melhor. Descobrir o significado das palavras dividir, gerar e amar e renunciar.E acima de tudo, estar grávida é saber o que é ser mulher de verdade e se sentir mulher nos vastos sentidos que a palavra ‘mulher’ nos leva. Por que além do mais, só nós mulheres temos esse privilégio de dar a luz a um ser humano.
É também saber que o hoje é a uma espera às vezes quase insuportável, e que o meu amanhã reserva os melhores, cruciais e mais indescritíveis momentos que a vida me dará.
E estar feliz, inexoravelmente feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário